Como relatado, de 5 de dezembro, o comitê olímpico Internacional decidiu suspender a seleção da Rússia da participação nos jogos Olímpicos de inverno de 2018 no mundo Пхенчхане devido допингового escândalo. Quando individuais russos atletas, não implicado em violações de dopagem, serão capazes de falar sobre os Jogos sob o neutro bandeira, se permitirá o COI.

O chefe do COI, Thomas Bach ao vivo do canal de tv alemão ARD expressou a esperança de que não manchadas de acusações na aplicação de substâncias proibidas russos, os atletas ainda chegarão em Пхенчхан e tornam-se "uma ponte para a limpo o futuro do desporto em portugal".

"Um dia bom para o esporte"

A notícia de remover a rússia, a partir de Jogos em Пхенчхане foi em uma das páginas principais maiores alemães publicações. Vestidos de notícias e a ARD e a ZDF também abra uma mensagem sobre вердикте do comitê executivo do COI.

No ARD, a destituição do comitê Olímpico da Rússia (TOC), comentou o jornalista Hayo Зеппельт, com cujos documentários e começou a divulgação do sistema de doping na RÚSSIA. Ele não foi muito feliz com a decisão do COI, chamando-o de "pouco consistente" e "половинчатым", relata Deutsche Welle.

A vivo e a ARD e a ZDF fez também o chefe Alemão desportivo olímpico da união (DOSB) Alfons Herman. Ele disse "bom dia para o mundo dos esportes" e descreveu o veredicto do COI como "ponderada".

"Por um lado, draconianas contra os organizadores (sistema de doping) na política russa e TOC. Por outro, os direitos individuais "limpa" atletas", explicou o Herman.

Nacional антидопинговом agência Alemanha (NADA) também ficaram satisfeitos com a punição para a equipe russa. "Esta decisão representa um ponto de inflexão, o COI claramente falou honesto cuidados médicos e a intolerância ao doping", afirmou o presidente do NADA Andrea Гоцман.

"O COI parou no meio do caminho"

Navegadores alemães publicações foram configurados os mais céticos. Assim, o colunista Peter Spiegel Online Ahrens escreveu que, levando-a para fora seu veredicto, o COI parou "na melhor das hipóteses, no meio do caminho". "Esta solução críticos da Rússia, em parte, foi para a frente, mostraram, na medida em que o COI chocado com o brio de um engano, mas ao mesmo tempo, backdoor ficou para o regime de Putin aberto", acredita Ahrens.

Jornalista Spiegel Online convencido de que era necessário excluir totalmente russos atletas da próxima Olimpíada. "Em larga escala de aplicação de doping merece e abrangente de reação. Tal reação foi afetado e inocentes atletas, é verdade, e para tais atletas seria amargo. Mas as sanções somente causam a dor, quando eles tangíveis", diz ele.

Browser Süddeutsche Zeitung Thomas Кистнер também acredita que a completa expulsão dos russos de Jogos na Пхенчхане seria mais adequada punição. Na decisão do COI, ele vê "a tentativa de ir ao encontro de Vladimir Putin".

"Para que tudo isso? O presidente da federação russa a partir do 11º lugar no медальном classificação após os jogos Olímpicos de Vancouver, em 2010, pulou para o 1 º lugar em Sochi, осчастливив o Kremlin, investido de 50 bilhões de dólares em сочинскую quimera", diz o autor da publicação. Сочинская jogos Olímpicos tornou-se "o maior campo de golpe de modernidade". E, por isso, a Rússia teve de pagar a completa proibição de participar nos próximos Jogos", observa Кистнер em seu artigo.

No entanto, o COI, segundo o jornalista alemão, por alguma razão, decidiu deixar a "rampa de Putin", equilibrando-se entre o total proibição de participar em Jogos russos atletas e a preservação de algum confiança ao movimento olímpico.

"Talvez, a pessoa responsável em Moscou, preferem continuar a contar a seus compatriotas sobre a conspiração mundial, em vez de admitir uma enorme farsa. Talvez eles não passem pela ponte, que para eles, levantando do COI. Mas isso não muda o fato de que esta ponte não era para ser, se a pureza da competição realmente é o principal valor do COI", conclui Кистнер.

"É maravilhoso, uma punição justa para Putin"

De acordo com Kristin Brennan a partir da edição americana O USA Today a participação em Jogos de russas atletas sem formulário nacional, a bandeira e o hino dói ferir a imagem da Rússia.

"Qual será o visual de demonstração! Como uma vergonha para a Rússia, para cada funcionário, o que facilitou a penas de atletas de outros países, que jogou segundo as regras, homenageado por eles de medalhas em Sochi, Rio de janeiro e Londres", diz a jornalista USA Today, cujo comentário é citado InoPressa.ru.

Mas em primeiro lugar é o de "belo, o merecido castigo", de Vladimir Putin, acredita Brennan. "Putin, talvez, pensei que de 51 bilhões de dólares gasto em jogos olímpicos em Sochi, garante a ele ao longo da vida favores do COI. Putin estava errado. O COI com a dignidade rebelde e não ceder a ele. Eu освещаю os jogos Olímpicos de 1984 e nunca pensei que veria isso", escreveu ela.

De acordo com Nilo Макфаркуара The New York Times, A rússia, destacada dos jogos Olímpicos de inverno, depara-se com o "maior desportivo crise da era soviética".

Como observa o jornalista americano, o Mundo, como guia para a União Soviética, investiu em jogos olímpicos como ferramenta para o fortalecimento da reputação internacional, e a própria política do estado. Agora, tudo é interessante, como o novo escândalo impacto no ranking nacional de políticas sobre.

"Russo sport коррумпирован não mais, do que o sistema das Olimpíadas"

"Claro, russo sport коррумпирован. Mas não mais do que os próprios jogos Olímpicos" — sob esse título, o jornal Guardian publica um artigo escrito por um famoso ensaísta britânico de Simon Дженкинса.

A principal conclusão do artigo, o autor traz o subtítulo: "Todo o projeto olímpico requer a revisão. Remova todas as bandeiras, deixe-os atletas competem como cidadãos do mundo", relata O serviço russo da Bbc.

"Eu de certa forma triste, Vladimir Putin, diz Jenkins. — O passar dos anos, ele flertou com o COI, comitê olímpico internacional, é claro, sabia (e sabia há muito tempo), que a rússia atletas, como muitos outros, cheio накачаны doping. Ele fechava os olhos para todos os vazamentos e todos os comunicados de imprensa sobre o assunto, mesmo quando ainda em 2010, ele e sua смехотворному "антидопинговому" a agência de notícias transmitiram uma evidência direta de Vitali e Julia Степановы. O COI não levantou um só dedo para deus não interferir fato de клубку engano e corrupção, que representavam os jogos Olímpicos de inverno em Sochi, em 2014".

A rússia foi a vez de um país para o COI, acredita o autor do artigo no Guardian. "Chauvinismo ela foi mais importante do que o dinheiro, o dinheiro é mais importante do esporte. Ele não poupou nem o dinheiro, nem para o doping. Quando, em 2014, em desespero, Stepanova transferiu seus materiais, em que o COI não respondeu à IMPRENSA, a bolha finalmente estourou. O COI mesmo admitiu que não estava certo, embora demonstrou sua verdadeira essência, permitindo a participação nos Jogos no Rio em 2016 outros atletas russos, mas considera que a de Jogos de Júlio, Stepanova. Assim o internacional sport vem com aqueles que se recusam a jogar pelas suas regras".

"No lugar de Putin, eu diria, de Bach: como é que três anos atrás, eu era inocente, e agora, de repente, de orelhas na lama? — escreve Jenkins". — E como é que outros países, sobre a aplicação de doping que o COI está bem ciente? Se a resposta consiste no fato de que na Rússia a aplicação de doping foi "autorizado pelo estado", eu diria: "Ah, conte..."a Verdade é que, esta semana, o COI passou a expor em não menor grau que a Rússia".

"A realidade das drogas é que ele é baseado em enormes de dinheiro. Uma multa de 15 milhões de dólares, dinheiro do COI sobre a Rússia — é um absurdo. Certo de que, nem um centavo desses 12 milhões não vai Родченкову ou Stepanova, que agora se escondem, temendo por sua vida.

O COI considerou necessário para a vida de desqualificar o russo ministro do esporte Vitali Mutko, mas estranhamente não tomou quaisquer medidas em relação ao seu кремлевскому patrão. Ninguém fala sobre o boicote a copa do mundo na Rússia, liderada pelo qual vale a pena mesmo Mutko. E isso apesar do fato de que a FIFA deu o campeonato da Rússia apesar de uma série que ficaram sem resposta escuras de questões sobre como a Rússia e o Qatar, que recebeu o campeonato do próximo ano 2022", escreve Jenkins, observando que a independente relatos, a dopagem na Rússia, coberto de cerca de 30 tipos de esporte.

O autor do artigo no Guardian acredita que os atletas de "culpados" para os países devem atuar não como representantes de seus países, e, como pessoa: "É necessário pôr fim воинствующему шовинизму, o início do qual colocou Hitler nas olimpíadas de Berlim em 1936, e os atletas devem atuar como cidadãos do mundo".

Jenkins oferece uma série de propostas radicais: "o Jogo também deve deixar de ser um destino turístico clube богатеев e é sempre realizado no mesmo lugar — talvez na Grécia, onde eles se originaram. A televisão tomou conta da necessidade de vaguear por todo o planeta, esgotar os recursos de uma cidade após a outra, deixando-lhes duvidosa "herança" como ninguém necessários grandes e dispendiosas estruturas".

Financial Times, em seu editorial, chama a atenção para o внеспортивные consequências da decisão do COI. De acordo com a publicação, não se justifica olímpico de proibição, a decisão do COI pode apenas reforçar a posição do presidente da Rússia dentro do país.

FT acredita que o Mundo pode usá-lo em sua campanha eleitoral, como uma prova de que a Rússia é cercada por inimigos, em poderosa e venenosos russos a MÍDIA estatal vão reproduzir essa tese. Muitos simples morador como pensar que a proibição para a rússia atletas que, no discurso, na Olimpíada — resultado nasty conspiração, mas não do que clama erradas ação de autoridades russas. Para o mundo ocidental, a comunidade, que não tem desejos nem que seja guiado Putin, nem afastar-se de si russos, esta situação cria um dilema.

Apesar disso, n