"No estudo, os participantes viram reportagens e estima positiva, a eles, no todo ou negativos. Sejam tidas em conta temas de cada reportagem — por exemplo, a questão sobre a influência da UE para o desemprego, e também usada neles vocabulário", — informa o Jackson.

Descobriu-se que nos últimos 15 anos, um terço de reportagens da BBC sobre a UE foram неблагосклонными, de forma positiva — apenas cerca de 7%. Somente em 2004, a sua foi igualmente.

"O estudo também сопоставлялось, como em 2015, em materiais BBC coberto Ue e os líderes mundiais, que consideram "ditadores", afirmou o The Guardian.

"Para compartilhar a UE teve 45% неодобрительных matérias — tanto quanto em uma fração de Bashar al-Assad, e muito mais, do que Putin (30%) e Xi (7%). Quando o fizer, Xi e Assad elogiou vez mais, que a UE", observou Jackson.

"Não é possível medir a imparcialidade algumas fórmulas matemáticas. Serviço de notícias da BBC ilumina a UE de modo justo e eqüitativo, e estamos satisfeitos com a devida balanço de nossos materiais", — disse o porta-voz da BBC.