Ele, e seus colegas da Dinamarca, Estônia, Finlândia, Lituânia e Suécia enfatizar que, com a anexação começou a violação a Rússia, a integridade territorial da Ucrânia, e isso é o mais flagrante as últimas décadas violação da Carta das nações UNIDAS e outros organismos internacionais de actos jurídicos.

Os ministros apontam que, desde então, o número de violações de direitos humanos em são Paulo aumentou significativamente. Os moradores da Criméia impuseram a cidadania russa. Largamente sobre a violência contra os ucranianos e os tártaros. É suprimida a língua ucraniana, se limita a liberdade de expressão na MÍDIA.

"Criméia não esquecido. A rússia deve assumir a responsabilidade por danos. Os tártaros da criméia e outros moradores da Criméia, que sofreu realizada a Rússia política de opressão, necessitam de apoio", — salientou ministros.

No aniversário da anexação da Criméia mais uma vez, eles confirmam o apoio à integridade territorial da Ucrânia e da soberania do estado e em todo o seu território. Os ministros enfatizam que a competência da UE, a política não anexação da Criméia — a maneira mais eficaz de mostrar a sua solidariedade para com a Ucrânia.