No momento em que são instalados nacionalidade dos detidos. De acordo com o interlocutor da agência, a multidão de migrantes contêm no complexo esportivo na cidade de Dikili na costa do mar Egeu.

Depois de personalidade refugiados serão instalados, o poder de decidir quais as acções a tomar em suas atitudes frente.

Um dos detidos migrantes, conhecedor do idioma inglês, contou com a Reuters, que a maioria dos refugiados que fugiam da Europa da guerra, que acreditam que as margens da Grécia, eles terão o direito de ficar na Europa.

"Se a Turquia irá fornecer-nos o direito de escolher o país para onde vamos viver, o que é muito bom. Mas eu acho, na Grécia, temos exatamente seria a oportunidade de escolher", disse o entrevistado, acrescentando que os migrantes precisa de um caminho para a Grécia.

Note-se que o problema com a fuga de imigrantes da Turquia para a Grécia foi um dos principais pontos do acordo entre Turcos e a UE. De acordo aprovada na véspera do documento, todos os migrantes irregulares que se encontram na Grécia, através da Turquia, vão voltar para trás. Ressalta-se que todos os migrantes serão protegidas de acordo com padrões internacionais.

O primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, no final da conferência de imprensa, disse que a UE vai tirar tanto refugiados, quanto retornará para lá de migrantes ilegais. "Para cada сирийца, que será devolvido na Turquia, da Grécia, outro o sírio será transladada da Turquia na UE. O mecanismo é instalado com o apoio da Comissão europeia, as agências da UE e de outros países-membros, bem como agências das nações UNIDAS, para garantir o início de sua realização, no mesmo dia, quando será o retorno (imigrantes ilegais provenientes da UE, a Turquia)", cita o texto do acordo para a RÚSSIA.

Outro ponto importante do acordo foi a duplicação de apoio financeiro e de governo, isto é, a alocação de seis mil milhões de euros, em vez de três. A UE aprovou a este requisito, mas com a condição de que emitirá ferramentas adicionais somente depois que serão gastos os 3 primeiros млрд. o presidente do Parlamento europeu, Martin Schulz, salientou que o orçamento da UE — "não é uma caixa com ilimitadas de dinheiro".

Mais um requisito de Ancara, em troca de uma redução dos fluxos migratórios na UE é a supressão do regime de vistos já este verão. Aqui as opiniões da união Europeia e a Turquia se separaram. De acordo com Schultz, a UE está disposta a desempenhar "um papel construtivo", mas não há cortes de procedimento parlamentar em prol da Turquia não pode ser, porque é injusto com a Geórgia, a Ucrânia e para o Kosovo, também com vistas sobre o regime de isenção de vistos com a Europa.

No que diz respeito acelerar o processo de adesão da Turquia à União europeia, as partes decidiram abrir um novo capítulo nas negociações. A comissão fará a correspondente proposta formal em abril. "Trabalho de preparação para a abertura de outros capítulos vai continuar em ritmo acelerado e sem preconceitos posições dos países-membros, em conformidade com as regras" — ênfase no contrato.