Como escreve Lenta.ru, segundo informações da agência, o incidente ocorreu na quinta-feira. O italiano Ivan Pascal Moro (Ivan Pascal Moro), juntamente com duas filhas, de seis e 15 anos, estava caminhando na praia perto de hotéis em construção (segundo outros, eles iam lá a nadar). Em algum momento a dele veio o gerente, que disse que, dentro desta área de estar proibida e pediu-lhes que se retirassem.

Entre os homens, começou ele, depois que o turista esfaqueado o gerente vários golpes na cabeça, dos quais o mais tarde faleceu. Como observa o Corriere della Sera, um italiano foi preso em 11 de agosto. Neste caso, de acordo com a publicação, o nome dele é Leonardo Ivan Pascal (Leonardo Ivan Pascal). A Reuters diz que ele confessou ter cometido o assassinato.

A partir do momento da detenção de um viajante por sua família assistiu o pessoal do hotel em que eles moravam. Como observa FEIRA, agora está resolvido a questão sobre o envio de meninas para casa.

A agência também observa que as relações entre Roma e Каиром continuam tensas a partir de janeiro de 2016: então na capital do egito, foi morto por um estudante italiano Giulio Реджени. Seu corpo com as marcas da tortura foi encontrada alguns dias após o desaparecimento. A versão de assassinato a aplicação da lei dos dois países divergem. No contexto italiano lado ameaçou Egito restrições, se eles continuam a criar obstáculos às investigações.