• As vendas de álbuns Prince subiu de 42 mil por cento, depois de sua morte

  • No prazo de três dias após a morte do cantor americano Prince no mundo venderam mais 579 milhares de seus álbuns. Três dias antes da morte do músico fãs compraram apenas 1,4 mil lps. Portanto, as vendas aumentaram em 42 mil por cento. O maior atrativo coletâneas de canções do artista.

    No prazo de três dias após a morte do cantor americano Prince no mundo venderam mais 579 milhares de seus álbuns, informou na segunda-feira, 25 de abril, o USA Today, citando dados da empresa Nielsen Music. Três dias antes da morte do músico fãs compraram apenas 1,4 mil lps. Portanto, as vendas aumentaram em 42 mil por cento.

    O alto-falante de alto foi observado na quinta-feira, 21 de abril — um dia depois da notícia de que o Prince encontramos morto em sua casa. O maior atrativo coletâneas de suas melhores músicas. O segundo lugar foi para o álbum de Purple Rain ("Purple rain"), a música a partir do qual é tocada no filme de mesmo nome.

    Especialistas prevêem que a compilação The Very Best liderar o ranking da Billboard 200.

    23 de abril de corpo Prince cremado em um subúrbio de Minneapolis. Um dia antes de судмедэсперты realizou a autópsia, mas a causa exata de sua morte ainda não foi chamado. Os resultados do estudo manifestam através de algumas semanas.

    O cantor foi de 57 anos. Foi observado que, pouco antes de sair, ele passou uma forma grave da gripe. A MÍDIA também relataram, que Prince foram tratados de uma overdose de drogas.

    Em 2005, o nome de Prince foi registrado no Hall da fama do rock and roll. O mais ilustre de sua unidade de disco é considerado Purple Rain (1984), ele sempre está nas listas de melhores álbuns da era do rock and roll. O cantor foi o vencedor do Grammy awards, o "Oscar" e "globo de Ouro". Ele gravou uma música em gêneros de rhythm and blues, funk e rock. O primeiro disco do músico saiu em 1978, ele produziu mais de 20 álbuns.

    http://lenta.ru

More news in the same category:

More Global News:

comments powered by Disqus