51% dos entrevistados neste caso, seriam deixados na Letónia (de 24,4% afirmaram isso com a certeza de 26,9% - "muito provavelmente, teria ficado"). 37% no caso de um conflito, sairia do país, 22,9% - "sim, sairia". 12% dos entrevistados não foram capazes de dar uma resposta definitiva à pergunta, relata LETA.

40% os entrevistados também disseram que, pronto, se for realmente necessária, com armas na mão, para defender a Letónia. 44% dos entrevistados seguiu o ponto de vista oposto, 15,9% não foram capazes de determinar a resposta.

Pesquisa foi realizada em novembro de 2015, e contou com a participação 1022 residente Letónia, na idade de 17 a 74 anos de idade.