"É uma visita histórica e uma oportunidade histórica (para melhorar ainda mais as relações bilaterais)", disse Obama durante uma reunião com os funcionários da embaixada dos estados unidos em Cuba e os membros das suas famílias.

Como observado, o líder cubano, Raúl Castro, não conheceu o presidente dos estados unidos no aeroporto. Em vez dele no aeroporto internacional José Marti, Obama saudou o ministro dos negócios estrangeiros de Cuba, Bruno Rodriguez, cubanos e norte-americanos empregados e funcionários. Neste contexto, o candidato à presidência dos estados unidos pelo partido Republicano, Donald Trump disse que a reunião de Obama em Cuba passou sem o devido respeito.

"O presidente Obama acaba de desembarcar em Cuba, um grande negócio, e Raul Castro, mesmo não cumprimentou-lo. Ele conheceu o papa e outros. Nenhum respeito", escreveu Trump no Twitter.

Falando sobre o trabalho da embaixada, Obama salientou que a missão diplomática permite "a forma mais eficaz de promover nossos interesses e valores". No entanto, ele elogiou a diplomatas norte-americanos, que "a cada dia unem, estados unidos e Cuba", declarou".

A reunião com os funcionários da embaixada tornou-se o primeiro evento de Obama em Havana após a chegada. Depois disso, ele, apesar da chuva, cometeu um pequeno passeio pelo centro histórico de Havana, classificada como património mundial desde 1982 na lista do património Mundial. O presidente americano, sua esposa Michelle e as filhas Malia e Sasha começou a passeio com uma visita à capital da place d'armes - Plaza de Armas - acompanhado principal historiador da cidade de Eusébio Леаля.

Obama demonstrou interesse e a outros histórica estruturas, tal como construído em 1780 o Palácio do capitão-generais, no qual заседало o governo da ilha em tempos, quando Cuba foi colônia espanhola, transfere para a RÚSSIA.

O presidente e sua comitiva também visitou a catedral de Havana, no qual o cardeal da igreja Católica de Cuba Jaime Ortega na entrada do templo encontrou pessoas. Em um dos momentos de passeios Obama saudou cidadãos cubanos, que se reuniram no adjacente à catedral de ruas.

Barack Obama se tornou o primeiro atual líder dos EUA, que visitou Cuba nos últimos 88 anos, com a visita. Cuba e os estados unidos em dezembro de 2014, anunciou a normalização, e em julho do ano passado restaurado relações diplomáticas, interrompidos há mais de 50 anos após a revolução em Cuba.

O presidente americano, estará em Cuba até 22 de março, acompanhado pelo secretário de estado, John Kerry, e da delegação, que inclui empresários de grandes empresas norte-americanas e de 40 membros do Congresso.