"Vamos, nós não vamos abordar essa questão [da demissão]. Há quem essas decisões a tomar. Você me conhece cem anos. Eu estou sempre pronto para ir embora, se ele vai a alguém um favor e vai precisar", disse Mutko na quinta-feira aos jornalistas.

Mutko não se pronunciou sobre a decisão do comitê Olímpico Internacional (COI) a respeito de sua vida de desqualificação. Segundo ele, agora é a principal tarefa do estado — a protecção dos interesses dos atletas. "Eu — isso então. Agora o importante é os caras que estão suspensos", afirmou ele, destacando que a desqualificados russos atletas receberão apoio jurídico na luta com a decisão do COI.

Mutko também disse que a decisão do COI não afetará os planos de sediar a copa do mundo de futebol na Rússia em 2018. "São coisas diferentes. Hoje, a FIFA já fez uma declaração de que isso não se aplica para a copa do mundo. Esse é um projeto separado, outra situação, não importa o que não afeta", — cita o vice-primeiro-ministro FEIRA.

Como já foi relatado, de 5 de dezembro de COI suspendeu a seleção da Rússia da participação na OI-a de 2018, que será realizada de 9 a 25 de fevereiro, em Пхенчхане. Falar somente poderão os atletas, que será capaz de provar nada a ver com a допинговым enganar. Nesse caso, eles vão competir nos jogos olímpicos sob neutro bandeira.

O próprio Mutko não tem mais o direito de participar nos jogos Olímpicos de qualquer um. O COI considerou que o vice-premiê envolvido no aparecimento da Rússia допинговой do sistema, que foi monitorado em nível estadual.

Mutko ocupa o cargo de vice-primeiro-ministro a partir de outubro de 2016. Em paralelo, ele dirige Russa de futebol união europeia. Antes disso, Mutko oito anos como ministro do esporte da Rússia.