O ministro acredita que não vale a pena alimentar ilusões sobre o fato de que a integração de refugiados acontecer muito rapidamente, assim como parte dessas pessoas chegou a partir de um completamente diferente do ambiente cultural. Ela também observou que a integração é bidirecional, o processo, por isso a motivação para integrar-se é essencial. Se uma pessoa chega na Letónia, em trânsito, formalmente irá realizar deveres que lhe foram confiados, à espera de que poderá sair do país, destacou o ministro.

Мелбарде observou que parte dos refugiados ainda quer ficar na Letónia, e com grande entusiasmo, desenvolve cursos de integração.

Em geral, Letónia comprometeu-se a, no prazo de dois anos mover 531 de refugiado, principalmente atualmente na Grécia e Itália. Os refugiados chegaram ao país em fevereiro e, em geral, atualmente, na Letónia, já são 23 pessoas.