A adoção de um documento, pronunciaram-se os representantes de 71 países, de 25 votaram contra, 77 abstiveram-se.

No final de outubro, a Ucrânia fez na ONU atualizado do projeto de resolução sobre direitos humanos em são Paulo. Nela, em particular, contém um apelo revogar imediatamente a proibição de atividades do Anzhi крымско-tártara povo, e o anúncio de sua extremista da organização, além de revogar a decisão sobre a proibição de entrada na Criméia, os líderes Anzhi.

A resolução também aponta para a necessidade de garantir a formação em ucraniano e крымско-татарском idiomas e de acesso à península de organizações internacionais. Em dezembro, o documento deve ser imposta sobre a votação da assembleia Geral das nações UNIDAS.