De acordo com Brennan, nos materiais são apenas conclusões preliminares, feitos no ano de 2002. Mais tarde, eles foram refinados e complementada. Ele ressaltou que lá combinam fiéis e informações incorrectas, que mostrou a tarde de relatório de análise. Nenhuma evidência de que os sauditas têm sido implicados na терактам, na verdade, não foi, disse o diretor da CIA.

Brennan manifestou preocupação de que, no caso, a publicação de materiais sensíveis "alguém pode agarrar-se a este não verificadas as informações", que colocaria em risco a importante relação entre Washington e Riad Риядом.

"A nossa ligação com a Arábia Saudita é muito forte. Portanto, é a situação na esfera econômica, política, militar e as áreas de exploração".

Lembre-se, trata-se de 28 páginas a partir publicado em 2003, um relatório sobre a investigação da tragédia, que foram escondidos do público.

Supõe-se que esta parte do relatório é dedicada à "саудовскому pegada" em ataques. Рассекречивание de informação pode levar à adopção de legislação que permite às famílias das vítimas para interpor recurso contra outros países, que, presumivelmente, possam dar apoio a terroristas.

Na semana passada, o ex-americano, o senador Bob Graham disse que a decisão sobre a publicação do relatório será aceito pela administração do presidente em junho. "Espero que essa decisão será válido para os cidadãos americanos", disse Graham.

Na própria Arábia Saudita essas conversas se encontram extremamente irritável. Riade, em particular, já ameaçou vender a resposta de seus ativos dos eua no valor de cerca de 750 bilhões de dólares para evitar um possível congelamento.